Sodré GB Neto

Transtorno bipolar pode ter semana especial para conscientização

Resumo: Levantamento e caracterização dos sintomas apresentados pelo personagem Mr. Jones do filme Mr. Jones, definindo em que se constitui o sintoma e sua relação com o quadro do transtorno apresentado pelo paciente no filme.

Introdução

O filme Mr. Jones apresenta um quadro grave de TB (transtorno bipolar) onde o protagonista apresenta sintomas como:

1. Mania de grandeza, ele se achava mais competente que maestros de música e isso é citado no filme. A mania de grandeza pode se manifestar de diversas maneiras onde o paciente se envolve em projetos maiores que sua capacidade , sonha com realizações grandiosas, tem a chamada “megalomania”; isso devido talvez ao deseqeuilibrio dopaminico onde no momento de pico ele sente que pode tudo, ao mesmo tempo que coisas grandes lhe excitam cada vez mais e ele é dependente deste momento de pico para manter seus sonhos, sua força e não cair no outro extremo: a depressão.

“A mania é uma das fases do transtorno bipolar, distúrbio também conhecido como doença maníaco-depressiva. Ela é caracterizada por um estado de intensa euforia, havendo aumento de energia, agitação, inquietação, mania de grandeza, menor necessidade de sono, podendo até causar agressividade, delírios e alucinações.” https://www.tuasaude.com/mania-bipolar/

2. Muita inteligência, no filme demonstrou a grande capacidade de tocar piano, argumentar e seduzir; foram destaques na representação de Richard Gere; um verdadeiro show-man também pode estar relacionado aos picos descontrolados de neurotransmissores, e uma vez que a pessoa está neste pico ela pode realizar tudo, seu cérebro fica acelerado e sua inteligência ainda maior. Pacientes com TDAH que possui dequilibrio dopamínico podem ter relação com TB e até ser confundidos com os mesmos, porem ambas as situações requerem medicamentos diferentes , caso contrário um medicamento pode ter efeito negativo no tratamento não diferenciado:

“Wilens e colaboradores (2002) observaram que 26% das crianças pré-escolares e 18% das escolares com TDAH preenchiam critérios para TB. As crianças com TB e TDAH parecem ter início mais precoce da bipolaridade do que as que não tinham TDAH (Faraone, e col., 1997) com idade média de início entre2,6 a3anos quando coexistia com TDAH (Wilens e col., 2002).” https://www.abrata.org.br/transtorno-bipolar-e-transtorno-deficit-atencao-e-hiperatividade/

“Além disto, em cerca de 75% dos pacientes, o TDAH costuma estar associado a outros transtornos psiquiátricos, como o transtorno bipolar (TB), presente em até metade dos casos de TDAH, segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Bergen, na Noruega. ” http://thaisquaranta.com.br/bipolaridade-ou-transtorno-de-deficit-de-atencao-e-hiperatividade-tdah/

O transtorno de humor bipolar (THB) e o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) são enfermidades graves, de evolução crônica e que geram forte impacto social, familiar e educacional. Por compartilharem sintomas comuns e freqüentemente se apresentarem em comorbidade, o seu diagnóstico diferencial torna-se difícil, porém imprescindível, visto que medicamentos utilizados no tratamento do TDAH podem agravar a bipolaridade em crianças não tratadas. São encontradas taxas que variam de 49 por cento a 87 por cento de diagnóstico de TDAH em crianças e adolescentes com THB. Crianças com ambos os transtornos têm um curso geralmente mais grave. São indivíduos com taxas maiores de sintomas psicóticos, depressão, problemas escolares, hospitalização, ansiedade e comportamentos disruptivos. A criança com transtorno de humor bipolar TDAH deve iniciar o tratamento com estabilizadores de humor, visto que o impacto dos sintomas maníacos é maior do que o dos sintomas de TDAH. Se os sintomas de desatenção, impulsividade e hiperatividade persistem após a estabilização do humor, pode-se preconizar o tratamento para o TDAH com o uso de psicoestimulantes.(AU) http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=ADOLEC&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=465459&indexSearch=ID

3. Muita bondade, ao dar dinheiro para o colega de trabalho, ao fazer uma garota feliz numa tarde, também foi apresentada no filme . Esta generosidade exarcebada e inconsequente , devido sua intensa necessidade de estar conquistando as pessoas para ser aplaudido, pois devido sua mania de grandeza ter a admiração de todos é fundamental.

4. Muita euforia, sempre tornava os momentos intensos. Como já dissemos nos picos de humor tudo é intenso, o prazer, os gostos, as sensações.

5. Muita depressão, a profundidade de angustia de Mr. Jones era fatal, era capaz de chorar nos braços da psiquiatra ao mesmo tempo que pouco antes de desafiar a plateia de um concerto.

6. Muitos gastos, de forma inconsequente, devido a alegria diminuta, o prazer do momento ganha valores inegociáveis , de forma que sentir aquele prazer é tudo; de forma semelhante ao viciado em drogas que gasta todos os seus recursos por uma viagem, asssim o oaciente com TB enxerga nos momentos de picos sua viagem onde está disposto a gastar tudo por isso.

7. Muita raiva, não suportava ser contrariado como quando solicitou ao amigo dele de serviço; como tudo é intenso nele, a raiva também será intensa, e mesmo devido a causas menores, será intensa.

8. Muita sensualidade, extremamente atraído por sexo, olhando as mulheres na rua, e até mechendo com elas ao lado dos namorados. Para manter o humor alto o paciente precisa de dopamina, constanetemente, novidades, seduções, sexo, pois é o que o matem na corda bamba vivo; ele necessita de tudo para se manter naquele pico. De certa forma quando ele pisava o alto do telhado, era a vida dele ali representada entre a sensação e a necessidade de permanecer na sensação para não cair na fria realidade.

42 ideias de Bipolar: é conviver com perdas | pessoa bipolar, sou bipolar,  transtorno afetivo bipolar

9. Desejo suicida, uma atração pela morte , talvez para descansar do tormento mental na hora da depressão. O tormento mental que o paciente experimenta o faz desejar paz, descanso, desligamento, e se não o alcançar por meio de prazeres, sexo, drogas, sensações extenuantes, a morte é uma opção para descanso e paz.

O TB (Transtorno Bipolar) “é uma alteração mental grave em que a pessoa apresenta oscilações de humor que podem variar desde depressão, em que há profunda tristeza, até mania, em que há euforia extrema, ou hipomania, que é uma versão mais leve da mania.”[1]



“Principais sintomas

Os sintomas de transtorno bipolar dependem da fase de humor que a pessoa apresenta, e podem variar entre episódio maníaco, depressivo ou ambos:

Sintomas de episódio maníaco

  • Agitação, euforia e irritabilidade;
  • Falta de concentração;
  • Crença irrealista em suas habilidades;
  • Comportamento incomum;
  • Tendência ao abuso de drogas;
  • Fala muito rápida;
  • Falta de sono;
  • Negação de que algo está errado;
  • Aumento do desejo sexual;
  • Comportamento agressivo.

Sintomas de episódio depressivo

  • Mau humor, tristeza, ansiedade e pessimismo;
  • Sentimentos de culpa, inutilidade e desamparo;
  • Perda de interesse por coisas que se gostava;
  • Sensação de fadiga constante;
  • Dificuldade de concentração;
  • Irritabilidade e agitação;
  • Sono excessivo ou falta de sono;
  • Alterações no apetite e peso;
  • Dor crônica;
  • Pensamentos de suicídio e morte.

Estes sintomas podem estar presentes durante semanas, meses ou anos e podem se manifestar durante todo o dia, todos os dias.

Teste online de transtorno bipolar

Se acha que pode estar sofrendo com transtorno bipolar, responda às seguintes questões tendo por base os últimos 15 dias:

  1. 1. Você se sentiu muito animado, nervoso ou estressado?
  2. 2. Você se sentiu extremamente preocupado com alguma coisa?
  3. 3. Existiram momentos em que você se sentiu muito irritado?
  4. 4. Teve dificuldade para conseguir relaxar?
  5. 5. Você se sentiu com pouca energia?
  6. 6. Sente que perdeu o interesse por coisas que antes gostava?
  7. 7. Você perdeu a confiança em si mesmo?
  8. 8. Sente que perdeu verdadeiramente a esperança?

Tipos de transtorno bipolar

Existem 3 tipos de transtorno bipolar, que se diferenciam pelos tipos de sintomas apresentados e pelo tempo que duram, devendo ser avaliados por um psicólogo ou psiquiatra:

1. Transtorno bipolar tipo 1

Este tipo de transtorno bipolar é caracterizado principalmente por períodos de mania, em que a pessoa apresenta um humor excessivamente feliz, com extrema euforia, sensação de energia, agitação, delírios de grandeza e pouca necessidade de dormir. Também pode haver irritabilidade, agressividade ou delírios paranoicos, por isso pode ser confundido com esquizofrenia.

Para identificar um episódio de mania, pelo menos 3 ou 4 dos sintomas devem durar pelo menos 1 semana. Esses sintomas normalmente causam muitos problemas para a pessoa, visto que interferem em seus relacionamentos e em seu dia a dia, sendo a principal causa de internamento em pessoas com este transtorno. Entenda melhor o que é a mania bipolar.

Embora os episódio de mania sejam mais frequentes, a pessoa também tende a apresentar episódios alternados de depressão.

2. Transtorno bipolar tipo 2

Esse tipo de bipolaridade é caracterizado por episódios depressivos e hipomaníacos, porém, são mais leves e não interferem totalmente no dia a dia da pessoa. Geralmente a pessoa apresenta maior sociabilidade, impulsividade, menor necessidade de sono, maior capacidade de iniciativa, energia para as atividades e impaciência.

Quando surgem episódios alternados de depressão e hipomania, sem mania, a doença é classificada como transtorno bipolar tipo 2.

3. Transtorno ciclotímico

Este tipo é caracterizado por sintomas hipomaníacos e depressivos persistentes, que podem ser uma forma leve de transtorno bipolar. Esses sintomas duram mais e podem persistir por pelo menos 2 anos. Devido aos sintomas serem muito semelhantes com depressão,muitas pessoas acabam sendo tratadas para depressão em vez de transtorno bipolar.

Como é feito o tratamento

O transtorno bipolar não tem cura, mas pode ser controlado com vários tipos de tratamento, como psicoterapia, uso de remédios prescritos pelo psiquiatra, ou ainda complementado com alguns métodos naturais.

As principais formas de tratamento incluem:

1. Uso de remédios

Para o sucesso do tratamento do transtorno bipolar, os medicamentos e as doses devem ser sempre orientados por um psiquiatra, e estar sob constante supervisão médica. Os principais tipos de remédios que podem ser indicados são:

  • Estabilizadores do humor: controlam episódios maníacos, como lítio, ácido valpróico ou carbamazepina;
  • Antipsicóticos, como olanzapina, risperidona, quetiapina ou aripiprazol: são usados ​​se os sintomas de depressão e mania persistirem;
  • Antidepressivos: ajudam a controlar a depressão, como a fluoxetina, que deve ser associada a um antipsicótico para evitar episódios de mania;
  • Ansiolíticos: ajudam a reduzir a ansiedade e a melhorar o sono, como os benzodiazepínicos.

O uso de medicamentos pode ser associado a sessões de psicoterapia, tornando o tratamento mais eficaz.

2. Sessões de psicoterapia

A psicoterapia é muito importante no tratamento da bipolaridade e pode ser feita individualmente, em família ou em grupos.

Existem várias modalidades, como a terapia rítmica interpessoal e social, que consiste em estabelecer uma rotina diária de sono, alimentação e exercícios, com o objetivo de reduzir as oscilações de humor, ou a terapia psicodinâmica, que busca significado e função simbólica de comportamentos característicos da doença, para que tomem consciência e possam ser prevenidos.

Outro exemplo de psicoterapia é a terapia cognitivo-comportamental, que ajuda a identificar e substituir sentimentos e comportamentos prejudiciais à saúde por outros positivos, além de desenvolver estratégias que ajudam a reduzir o estresse e lidar com situações desagradáveis. Além disso, encorajar a família a aprender sobre o transtorno bipolar pode ajudá-la a lidar melhor com a situação, bem como identificar problemas ou prevenir novas crises.

3. Fototerapia

Outra forma menos comum de tratar episódios maníacos é por meio da fototerapia, que é uma terapia especial que usa várias luzes coloridas para influenciar o humor da pessoa. Esta terapia é especialmente indicada em casos de depressão leve.

4. Métodos naturais

O tratamento natural para o transtorno bipolar é complementar, mas não um substituto do tratamento médico, e visa evitar o estresse e a ansiedade, fazendo com que a pessoa se sinta mais equilibrada, evitando novas crises.

Desta forma, as pessoas com transtorno bipolar devem praticar exercícios regulares como ioga, pilates ou fazer caminhadas relaxantes e ter uma atividade de lazer, como assistir filmes, ler, pintar, fazer jardinagem ou ter uma alimentação saudável, evitando o consumo de produtos industrializados.

Além disso, também pode ajudar a consumir bebidas com propriedades calmantes, como o chá de Erva de São João e passiflora, camomila ou erva-cidreira, por exemplo, ou realizar massagens relaxantes com alguma frequência para diminuir a tensão.

Como prevenir as crises

Para que a pessoa com transtorno bipolar viva controlando sua doença sem apresentar sintomas, deve tomar os medicamentos regularmente, no horário e na dose prescrita pelo médico, além de evitar o consumo de bebidas alcoólicas e drogas.

As complicações do transtorno bipolar surgem quando o tratamento não é realizado adequadamente e incluem depressão profunda, que pode resultar em tentativa de suicídio, ou alegria excessiva que pode levar a decisões impulsivas e a gastar todo o dinheiro, por exemplo. Nestes casos, pode ser necessário internar a pessoa para estabilizar a crise de humor e controlar a doença.

Sinopse : http://obviousmag.org/imagens_e_palavras/2015/09/-o-filme-dirigido-por.html

Extraordinária visão da bipolaridade, filmado por Mike Figgis em 1993, este filme mostra o drama de um estigma na vida de um homem com distúrbio bipolar que somente se aceita quando é amado e consegue amar, sem medo de rejeição ou de culpa

O filme dirigido por Mike Figgis, em 1993, trata do Distúrbio Bipolar através da historia de Jones( Richard Gere) um homem de 35 anos, que é internado num Hospital Psiquiátrico após subir no telhado de uma construção e fazer menção de que iria voar. De inicio Jones é diagnosticado com esquizofrenia paranoica, mas após conversa com a Drª Elizabeth Bowen, interpretada por Lena Olin, é diagnosticado que ele possui Psicose maníaco-depressivo (Transtorno Bipolar), podendo apresentar sintomas de distração, redução da necessidade de sono, capacidade de discernimento diminuída, gastos excessivos, hiperatividade, aumento de energia entre outros sintomas.

Sempre muito envolvente, desloca-se até um Banco para fazer um saque, mas facilmente consegue conquistar a caixa que o atende, saindo com ela para curtir e gastar todo seu dinheiro. Durante essa curtição, sofre outra crise, na qual sobe ao palco no meio de uma apresentação de uma orquestra para reger uma sinfonia de Beethoven e, novamente, é internado, mas rejeita a medicação e o tratamento por acreditar que não está doente. Após começar a ser tratado pela Drª Elizabeth, Jones passa pela sua fase mais depressiva, apresentando-se sujo e mal vestido. Jones é solitário, passou toda a vida sendo internado em hospitais psiquiátricos sem curar-se. Sua dor é maior do que os sintomas da doença. ele sente-se cansado e cético em relação à sua pessoa. Só um filme com tal sensibilidade, pode mostrar às famílias a necessidade de amor. Sem dúvida, ainda há estigmas que não são apontados publicamente por preconceito e hipocrisia.

Jones tem momentos de euforia que o fazem sentir-se um rei. Mas, quando entra o lado depressivo, ele chora como uma criança. A psicoterapia é levada com profundidade pela Dra Bowen até ele ceder a internação e apresentar algumas melhoras na convivência com outros doentes. Contudo, na trama, a doutora se apaixona pelo paciente e têm uma noite de amor. A situação é grave e Dra Bowen em conversa com o diretor do hospital, resolve se afastar de Jones e ele é enviado para outro sanatório do qual foge. Sente-se traído por ela ter investigado seu passado. e volta às ruas, fazendo baderna e querendo voar. O filme abre uma visão humana sobre a doença mental,mostrando que é possível e necessário mudar a relação que se tem com os deprimidos, bipolares e outros psicóticos. O que mais sensibiliza é o toque, a falta de carinho, a consciência da dor e sua verdade ao longo da vida. O filme dá um recado às famílias que excluem seus doentes. a solidão de Jones é consequência do abandono e da incompreensão desde sua infância. Somente quando se mexe na ferida com amor, pode-se libertar o psicótico de seu imenso sofrimento. A Dra Bowen pede demissão e tem-se um final emocionante do encontro entre um homem e uma mulher que decidiram encarar suas vidas e tocar em frente seu amor.

© obvious: http://obviousmag.org/imagens_e_palavras/2015/09/-o-filme-dirigido-por.html#ixzz76isj1r8i

Follow us: @obvious on Twitter | obviousmagazine on Facebook

Trantorno obsssessivo compulsivo

Não são indicados para psicanálise pois são muito resistentes (baixa transferência)

Notas de rodapé

[1] Neurotransmissores e receptores (artigo) | Khan Academy

[2] https://rbnp.emnuvens.com.br/rbnp/article/download/34/27

[3] Neurotransmissor – Wikipédia, a enciclopédia livre

[4] http:// http://crablab.stanford.edu/publications.html (http://crablab.stanford.edu/publications.html)