DA CONTRA REFORMA AO NATURALISMO METAFÍSICO ATEU – SODRÉ NETO

Nossos modelos de pensamento , escalas de valores, historia, cultura e a sociedade que vivemos, influencia fortemente nossas atitudes, decisões, fabricam as leis que elaboramos e nos move coletivamente para fazer com que todos as mesmas se submetam.

Portanto, é lógico que descortinar nossas crenças, modelos e valores , que chamo aqui de “sistemas íntimos”, fará com que possamos compreender por exemplo, porque alguns países , ou povos ou famílias, se desenvolveram mais e outros menos, em aspectos de qualidade de vida, ciência e tecnologia, relações sócio familiares, trabalhistas e comportamento religioso ou antireligioso.

Antídotos Ideológicos na sociedade , nos individuos e na historia mundial observada pelo Prisma Imunológico

Uma das tecnologias mais fascinantes de biotecnologia de produtos naturais, é a provocação de uma planta ou animal para que produzam uma defesa , uma vacina, uma molécula específica (eliciação). Aqui no jornal falamos inclusive da vacina anti-covid19 produzida pelas galinhas e codornas infectadas . De forma análoga , percebemos que a humanidade em sua busca pela harmonia e paz (que seria a homeostase dos seres vivos) também reagem usando filosofias, ideologias, militâncias e teologias como antídotos, e percebemos que as pessoas e/ou conjunto delas, grupos, militancias, religiões, reformas, revoluções, também produzem antídotos ideológicos. Percebemos que quanto pior o ambiente mais potentes são as vacinas . Ninguem fala melhor da liberdade que aquele foi privado dela, o mundo nunca elaborou uma carta de direitos humanos (1948) sem antes vivenciar o cúmulo do desrespeito aos seres humanos durante o nazismo que terminou seu poder 3 anos antes em 1945 , e isso ocorre porque “nenhuma ferida é maior que a do seu curador”, precisamos ser desafiados, provocados, derrotados, acamados, traumatizados, para produzir defesas tanto físicas, como mentais e ideológicas. Exemplos de reações e formações de antídotos não faltam , como o marxismo em resposta a exploração trabalhista, o islamismo unicista em resposta ao cesaropapismo trinitariano de Justiniano, a normatização de experimentos científicos na famosa declaração de Helsinque como reação aos abusos de Mengeler (outra vez o nazismo criando remédios) ; o feminismo e direito das mulheres como reação ao machismo, e por ai vai.

Lutero por exemplo, foi provocado em sua alma naquele ambiente católico medieval de salvação pelas obras, por penitências e sacrifícios que, a semelhança de povos filisteus da Philistina, pagãos, índios, orientais, se feriam e se retaliavam para merecer o amor de alguma cruel divindade. Nos EUA Morris Venden, e no Brasil Alejandro Bullon, muitos pregadores; entre eles destaco aqui o professor Valdecir Lima , que justamente sob a seita judaizante adventista, foram também provocados a produzir vacinas, e temos neles antídotos teológicos da graça, mais potentes que pregadores provocados em igrejas digamos, mais normais. É de Alejandro Bullon a frase ” Você é a coisa mais bonita que Deus tem na terra” .

Ainda me lembro do saudoso professor Valdecir Lima, chegando na sala de aula e declarando que todos os alunos haviam passado na matéria de Inglês; bastando que se comprometessem a querer gostar de Inglês e realizar pouquíssimas tarefas prazerosas, que eram traduções de poesias e textos maravilhosos. A turma festejou e nunca aprendi tanto inglês como nesta ocasião.

No Brasil e talvez em grande parte do mundo, não estamos acostumados com professores como o Valdecir; mas sim com sargentos ameaçadores que transformam a educação num terrorismo, e não trabalham sentimentos nobres que poderiam ser despertados no aluno.

Alguém duvidaria que este nosso modelo de educação tem tudo a ver com a teologia que nos dominou e continua dominando em diversos aspectos? E como esta falta da “graça” enfatizada por Paulo e Lutero, influenciou e influencia o desenvolvimento científico onde , como mencionou-me o professor Dr. Francis, “na alemanha [Luterana] nos entregam uma verba e um tempo para desenvolvermos pesquisa em liberdade” contrastando com o Brasil católico, regrista, legalista, thiaguista e judaizante, onde você gasta mais tempo escrevendo projetos, preenchendo formulários e dando relatórios, pra fazer pesquisa, que fazendo pesquisa?

Hinos Tradicionais ::..: Valdecir Simões Lima (1953- )
Foto do grande professor Valdecir Lima


A mentalidade do esforço (direita conservadora) , das obras, ou do paraíso de graça na terra no presente (comunismo, socialismo e petismo) , são características principalmente da teologia dos Jesuítas que lideraram e ainda lideram grande parte da educação no mundo, sobretudo , desde de uma série de reuniões , que duraram 18 anos, chamadas de “Concilio de Trento”, que foi feito como resposta ao crescimento do protestantismo da época (não o de hoje). Interessante que existem 2 tipos de grupos e subgrupos destes que se repetem na historia como que buscando cada qual uma melhor interpretação da referência em Paulo, interpretada por Lutero, Calvino e reformadores, depois traduzida em causa humana pelos anabatistas precursores do comunismo marxista nas suas revoltas contra nobres pela distribuição de terras, que diga-se de passagem, não foram apoiados por Lutero, que os inspirava, o que gerou não somente seu enfraquecimento como deu apoio a uma verdadeira chacina deles na época.

Resumimos desta forma estas ênfases ideológico interpretativas:

Ideologia e Ênfase de Solução de comportamento para o ser humano  Esforço das Obras (Estilo Comercial e judeu) Graça (Estilo cristão e marxista)  
Representantes Históricos Judeus  Cristãos Paulinos  
No Concilio de Trento contra a reforma protestante 1546-1564 Jesuítas mais ligados ao fundador Inácio de Loyola enfatizando equilíbrio entre fé e obras Luteranos e reformados enfatizando graça, fé somente e transformação milaculosa 
Expressão religiosa-política atual  Cristãos Conservadores de direita extrema enfatizam esforço Cristãos socialistas esquerdistas incluindo Jesuítas mesclados com o franciscanismo enfatizam caridade e solidariedade ; e cristãos neutros quanto a polarização esquerda direita.



O 'crucifixo comunista' e a surpresa de Francisco | Internacional | EL PAÍS  Brasil



Nesta ocasião, os padres Jesuítas se comprometeram a defender o Papa e a autoridade da Igreja católica , e para tanto , precisavam combater a graça e a fé enfatizada por Lutero e Paulo ao enfatizar as obras, o esforço humano, dando força a dialética de Thiago (chamada de “carta de palha” por Lutero) e a mentalidade centralizada na lei (legalista) dos judeus que Paulo tanto combateu “o bom combate da fé” e até deu a vida por isto quando Thiago o convenceu a fazer média com judeus ; Precisavam também combater até a própria Bíblia dos protestantes que retirava o poder supremo da Igreja e dos seus Papas, por denunciar seus erros.



Os Jesuítas eram (e até hoje ainda são) os que mais controlam a educação no mundo , somam- se 2 bilhões de alunos formados em escolas católicas no mundo, e só hoje educam 60 milhões de alunos, mostrando que grande parte da nossa mentalidade em diversos aspectos foram moldados por eles .

Neste contexto , o ensino jesuíta do esforço humano, todos os grupos de passagens bíblicas que falassem das obras, foram sistematizadas. Colégios e mais colégios ensinaram a mentalidade do esforço, da penitência, do sofrimento, não da graça libertadora, e isto se refletiu na sociedade que mais condena que perdoa, mais odeia que ama, mais cobra que dá, convertendo inclusive a maioria das igrejas protestantes, para que se falasse mais a língua de Trento, não das ênfases de Paulo, não da graça, não da fé, mas das ênfases das obras centralizando a salvação do ser humano perdido e incapaz, em seu esforço pessoal.

Para combater a Bíblia, a dialética do humanista de Erasmo de Rotherdan, caracterizada pelo antropocentrismo – o predomínio do humano sobre o transcendente , versus Lutero, fora então valorizada precedendo caminhos cada vez mais humanos, anti bíblicos, humanistas e ateus na revolução do pensamento mundial que se viu depois da reforma protestante ; e em especial na educação, precedendo o racionalismo, iluminismo , laicismo, positivismo, até chegar em regras educacionais totalmente contra a fé, foram impostas , como a absurda e desonesta regra epistemológica do “naturalismo metafísico” que permite quaisquer hipóteses metafisicas desde que sejam preconcebidas naturalistas, ou seja, sem Deus , sem sobrenatural por mais metafísico e sobrenatural que seja, e por mais que ciência como conhecimento não deva ter preconceitos anti alguma coisaDoes Science Presuppose Naturalism (or Anything at All)? – Science & Education .

Mas o endereço deste preconceito é especialmente que quaisquer estudos , para serem aprovados e estarem na categoria de ciência, não devem evocar a Bíblia e muito menos o criacionismo (que seria o esforço cientifico de testar partes falseáveis das alegações bíblicas e sobrenaturais).

De certa forma todo este movimento e regras e esforços anti Bíblicos, foram vistas com “bons olhos” muito antes do iluminismo francês anticlerical positivista , pelos Jesuítas, chefes da educação, porque isto auxiliava muito a terem sucesso na perseguição ao protestantismo e a Bíblia; mesmo que isto tenha trazido o efeito colateral de criar céticos, humanistas e ateus acadêmicos por atacado, formando o que se conhece hoje por uma forte rejeição cheia de ódio e birra contra o criacionismo no mundo acadêmico, bem como por toda a Bíblia, exceto suas partes mais essenciais que entram em comum acordo com filosofias em geral .

Um dos objetivos mais claros da Igreja católica e dos papas, era que sua autoridade estivesse acima de todos, inclusive da Bíblia, privando ao povo da interpretação desta por meio de restringir ao latim e aos seus doutores a função exclusiva de as interpretar. Ao torná-la de valor apenas em sua essência e não em seus pormenores, a Igreja conseguiria seu intento, e desta forma poderia negociar com o movimento cético , a educação cética para estas partes.

Historicamente , foi por este processo que hoje um estudante comum , odeia ao criacionismo e ama teorias totalmente imbecis como sopa primordial sendo capaz de produzir DNA ou ouvir aulas totalmente absurdas de geologia , dizendo que trombadas produziram nosso planeta repleto de ordens e sintonias finas, que foram nitidamente engenhosamente montadas . Por mais admirável e louca que seja este comportamento, ; é isso que convence a maioria dos estudantes e até professores ainda hoje.

A pregação dos jesuítas também enfatizam exageradamente o esforço humano e as obras para a salvação , que na visão de Paulo gerava o orgulho humano .

A Incrível Previsão do Livro de Daniel

Podemos entender que o livro de Daniel previu quase 3000 anos de historia política e como focaliza o Messias, previu que no futuro um poder o jogaria por terra bem como seu ato de graça na cruz ?

Sim podemos, mas antes precisamos dar uma lida no livrinho de Daniel e verificar na wikipédia as interpretações que existem para o mesmohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Profecia_dos_quatro_animais , entender o imenso valor deste livro porque não só Jesus em Mateus 24:15 o destacou: “quem lê o profeta Daniel entenda” , mas também, para quem não valoriza ou até odeia a Jesus, o cientista Isaac Newton, também elogiou muito o livro de Daniel e até escreveu um livro sobre o mesmo.

Você deve estar se perguntando porque não se ensina estes e outros livros na faculdade não é? É exatamente sobre como se construiu este ódio todo a Bíblia na academia que que estaremos discorrendo aqui.

Daniel , livro extremamente estimado por Isaac Newton, pai da física e da matemática moderna, no capitulo 8 e verso 12 diz :

“e lançou a verdade por terra, e o fez, e prosperou.”

Lançar a verdade significa o quê?

Vamos ler mais versículos anteriores :

E se engrandeceu até contra o exército do céu; e a alguns do exército, e das estrelas, lançou por terra, e os pisou.
E se engrandeceu até contra o príncipe do exército; e por ele foi tirado o sacrifício contínuo, e o lugar do seu santuário foi lançado por terra. E um exército foi dado contra o sacrifício contínuo, por causa da transgressão; e lançou a verdade por terra, e o fez, e prosperou. Daniel 8:10-12


Jesus disse que ele próprio era o caminho , a verdade e a vida, logo, lançar por terra a verdade seria lançar não um conjunto de ideias ou doutrinas apenas, mas literalmente jogar no chão uma pessoa, o príncipe do universo. De quê forma isso se sucedeu?

Já citamos que todo amor e graça de Deus foi lançado por terra, amor este revelado sobretudo na historia da cruz onde o charmoso Deus instala uma ceia (Santa Ceia) nos dizendo pra comemorar comendo o pão e bebendo vinho pra nunca esquecer o tanto de amor e graça Ele teve e tem por nós. No lugar disso, se estabeleceu um deus ameaçador repleto de ódio para com o ser humano .O ser humano foi afastado do amor sacrifical de Deus para se concentrar em cobrar esforço uns dos outros, não graça, mas obras; e aqueles que conseguem, colhem orgulho, e os que falham, colhem ódio.

Mas o “deitar por terra a verdade” não ficou apenas circunscrito em jogar a graça de Deus no chão, mas a literalidade da sua existência.

Deitou por terra a ideia literal de Deus

Daniel esteve descrevendo sucessões de impérios no capítulo 2, 7, e 8, e vai detalhizando e aprofundando seus poderes.

No 2 ele prevê exatamente 2600 anos de historia em ordem cronológica; impressionante! Veja:

Por isso os reis e imperadores como Dom Pedro 1 e 2 no Brasil tinham nomes gigantes , pois estes nomes eram o resultado de muutas tentativas de união de reinos por meio de casamento , assim como a profecia de Daniel 2 previu.

Ao fim todos reinos da terra seriam destruídos por um asteroide que representaria a vinda do reino de Deus

No capítulo 7 e 8 a sucessão de reinos exposta no capítulo 2 é repetida com mais detalhes:

Observamos que quando estamos no capítulo 8 , se começa pela Grécia, pois Babilônia já havia caído e o profeta Daniel, já idoso, havia vivido e relatado a transição destes impérios. Seus relatos inclusive demonstraram pela arqueologia serem superiores em alguns pontos que a arqueologia de poucas décadas atrás quando não haviam descoberto o nome “Nabucodonosor” nos anais caldeus, e por isso falavam mal dizendo que Daniel havia inventado nomes até que acharam milhares de tijolos confirmando Daniel.

Este é o mesmo Daniel protegido dos leões que céticos descuidados que nunca tiveram experiências com Deus vivem zombando.

Bom, voltando ao capítulo 8, a Grécia era o bode e de sua cabeça subiria um poder que deitaria por terra a verdade e teria muito sucesso.

A Grécia dominada politicamente acabou dominando a cultura romanahttps://www.infopedia.pt/$influencia-grega-no-imperio-romano

Quando Roma começou a ser cristianizada a partir de Constantino , em pouco tempo o cristianismo começou a ficar dominada pelo pensamento abstrato grego- filosófico, inclusive a teologia cristã , e isso era motivo de muitas discussões nas universidades católicas como por exemplo, estudemos Boaventura quando disputava filosofia grega versus cristã “contrário a uma filosofia que não seja cristã e a uma razão que seja suficiente a si mesma.” porém o mesmo tentava fundir as duas correntes .

Galileu Galilei

O certo é que com o passar dos séculos , a Igreja estava sob uma mentalidade que misturava cosmovisão aristotélica, poder romano, misturado ao cristianismo. Tanto que o que embasou a condenação de Galileu Galilei foi uma visão aristotélica e não cristã ou judaica .

Concílio de Trento contra a Bíblia dos protestantes

A autoridade do papa e da Igreja foi retirada quando Lutero iniciou a tradução pra língua comum da Bíblia dando ao povo o poder da razão e interpretação . Esta Bíblia que era a fonte de força dos protestantes teria que ser combatida, queimada, colocada no index ( Index Librorum Prohibitorum )

Leia mais em: Quais livros já foram proibidos pela Igreja Católica?

“Foi o 13° concílio da Igreja Católica e era chamado de Concílio Ecumênico. Ocorreu entre os anos de 1546 a 1563. Convocado pelo Papa Paulo III, em 1546, reuniu-se no Tirol italiano, na cidade de Trento. Também foi guiado por outros Papas, Júlio III, Paulo IV, Pio V, Gregório XIII e Sisto V, com a duração de 18 anos e concluindo seu trabalho somente em 1563. Foram realizadas 25 sessões plenárias, em três períodos diferentes (de 1545 a 1547; de 1551 a 1552; e de 1562 a 1563), quando todas essas sessões foram solenemente promulgadas em sessão pública.

Como naquele século 16 iniciou-se na Europa o movimento de renovação da Igreja cristã, a Reforma Protestante de 1517, houve essa reação católica, chamada Contrarreforma, como esforço teológico, político e militar de reorganização católica e de confronto ao protestantismo; e todas as suas doutrinas católicas foram discutidas para responder às críticas doutrinárias dos protestantes.

O concilio termina com determinações mais ao estilo de Thiago que paulinas, no sentido de equilibrar obras e fé, em detrimento da fé somente de Lutero, que na visão de Paulo seria muito mais eficiente que pregação de leis :

“Ó insensatos gálatas! quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi evidenciado, crucificado, entre vós?
Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?” Gálatas 3

Por isso que Lutero classificou o valor da carta de Thiago como “carta de palha”.

Fé versus Obras

A disputa se a salvação vem pela fé ou obras é antiga. Paulo defende que a cruz como pagamento de nossos pecados revela que somos salvos pela graça mediante a fé e não por obras . Na sua visão, Deus nos considera justos se tão somente aceitarmos o pagamento em nosso lugar ; pois para Paulo isso influencia mais positivamente o ser humano que cobranças por obras , que uma vez feitas, nos transforma em orgulhosos. Já há os que defendem um equilíbrio de salvação com um pouco de obras e um pouco de fé e foram estes últimos que “venceram” e tiveram sucesso na mentalidade do povo.

Este foi o resultado do concilio de Trento que passou a estabelecer a mentalidade da Igreja católica pelos jesuítas acima da mentalidade bíblica paulina de Lutero , toda a Bíblia sofreria enfraquecimento neste sentido de dar voz a Igreja e aos seus filósofos antes de dar voz a Bíblia.

Consequentemente o livro de Gênesis foi também subvertido por alguns cientistas como Darwin, e teve amplo aceite pelas instituições educacionais.

Todas as ideias contrárias a Bíblia, exceto da “carta de palha”de Thiago, foram bem vindas no mundo da educação acadêmica liderada pelos Jesuítas e desta forma criou-se uma mentalidade atual que rejeita a fé ao máximo, sobretudo na Bíblia, e enfatiza as obras.

A verdade que mais salva e liberta o homem que é a fé, foi deitada por terra, “fez isso e prosperou” Daniel 812 se cumpre diante de nossos olhos.

Notas de rodapé[1] https://www.youtube.com/watch?v=TPshU76hyQg&t=267s

[2] Erasmo de Roterdã – O porta-voz do humanismo

[3] O Maior Crime da Ciência Contra a Humanidade: (NM) Naturalismo Metafísico

[4]  A ciência pressupõe naturalismo (ou qualquer coisa)?

[5] A ciência pressupõe naturalismo (ou qualquer coisa)?

[6] Resposta de Sodré Neto para Como os criacionistas explicam o registro fóssil?

[7] http://Nova tese liga Jesuítas, contra-reforma a formação do ateísmo acadêmico https://pt.quora.com/De-que-forma-o-evolucionismo-ateu-cumpre-hoje-a-profecia-de-Daniel-8-12-sobre-um-poder-nascido-na-Gr%C3%A9cia-antiga-que-deitaria-por-terra-a-verdade-e-teria-sucesso/answer/Sodr%C3%A9-Neto-1

[8] http://Nova tese liga Jesuítas, contra-reforma a formação do ateísmo acadêmico https://pt.quora.com/De-que-forma-o-evolucionismo-ateu-cumpre-hoje-a-profecia-de-Daniel-8-12-sobre-um-poder-nascido-na-Gr%C3%A9cia-antiga-que-deitaria-por-terra-a-verdade-e-teria-sucesso/answer/Sodr%C3%A9-Neto-1

[9] Visión del capítulo 2 de Daniel

[10] Stuff in Space

[11] A Geologia da Terra revela Acidente Global recente?[12] Boaventura de Bagnoregio (1217/1221 – 1274)

[13] Boaventura – Wikipédia, a enciclopédia livre

[14] Quais livros já foram proibidos pela Igreja Católica?

Como o criacionismo explica o registro fóssil

Como os criacionistas explicam o registro fóssil?

Primeiro um quadro geral dos fósseis mostra que a maioria dos fósseis são marinhos (95%) e do restante, a maioria costumam ser peixes, ou seja, foi uma catástrofe envolvendo muita água.

Observe também que formas se repetem muito no registro fóssil ; isso é chamado de “paradoxo ou anomalia da estase morfológica” ; mas isso não seria chamado de anomalia ou paradoxo se se admitisse que tal repetição estacionária, de mesmas formas, indica claramente sepultamento de populações e não de amostras intercaladas por milhões de anos, pois seres vivos mudam diante de qualquer mudança ambiental conforme enfatiza justamente a própria teoria da evolução . Contraditório né. (Inclusive , é importante citar para que você não ache que isso seja uma mera opinião qualquer, sou autor de um artigo cientifico publicado a respeito).

Enquanto o modelo criacionista não voltar a ser aceito, estes fatos e muitas outros serão chamados de anomalias multiplicando milhares de publicações “científicas ” tentando dar um jeito pra explicar, em geral cada uma condena o jeito anterior como insuficiente .Especiação e Mudanças Morfológicas em Escala de Tempo Real, Tempo Arqueológico e sua Ausência em Tempo GeológicoPublicado a primeira versão sob Doi: 10.15413/ajsr.2017.0413DOI: 10.13140/RG.2.2.34026.75207 Resumo : O paradoxo  da estase morfológica na literatura paleontológica, SPM ( stasis paradox morphologi…https://posgenomica.wordpress.com/2020/07/11/as-mudancas-morfologicas-e-sub-especiacoes-em-tempo-real-e-sua-total-ausencia-em-tempo-geologico/

Ora, se temos evidência de repetição de formas e isso indica claramente uma catástrofe sepultando o mundo antigo na lama contendo sílica das águas, então isso explica a proporção estatística dos fósseis e a formação de rocha sedimentar devido ao cimento (sílica) advindo principalmente do grande número de vulcões envolvidos nesta imensa catástrofe.

As camadas geológicas sedimentares são as que contem fósseis . Isso por si já indica catástrofe pois elas abrangem bacias inteiras onde hoje temos apenas um rio fininho , e são super largas e espessas; algo que não se forma hoje em largura, espessura e extensão como observa o ex-professor da USP de geologia e hoje professor do UNASP Dr Nahor Souza Junior.

Elas também não estão empilhadinhas como você vê na internet assim (isso é uma mentira ):

Agora entenda como que desenharam e são encontradas as camadas “empilhadas” como se fossem períodos. (Tenho muito a dizer sobre esta inconsistência como o fato do cambriano abrigar muitos vegetais e no suposto período do cretáceo onde viviam os animais gigantes , pouquíssimo vegetal; isso revela que temos que entender as camadas como diferentes decantações/sedimentações/segregações e não diferentes períodos, caso contrário a comida destes gigantes existiria 100 a 200 milhões de anos antes deles existirem )sedimentology.frsedimentology.fr sedimentology.fr http://sedimentology.fr/http://sedimentology.fr/

Como foi

O mar agitado por ruptura da crosta terrestre, estava invadindo continentes pra lá e pra cá , erodindo tudo e criando camadas sedimentares em grande volume nos lugares mais fundos do planeta que são os mares profundos e rios, pois formar camadas em lugares mais altos é cada vez mais difícil, por isso apenas 0,0124% dos fosseis são vertebrados continentais .

Não existe camadas sedimentares em lugares mais altos, exceto aquelas que se formaram embaixo e depois foram soerguidas quando uma placa da crosta (tectônica) se le

vantou posteriormente como vemos no Himalaia e Andes , onde encontramos fosseis de peixes marinhos e conchas do mar lá em cima.

A formação das camadas geológicas significa apenas momentos de decantação ou segregação de resíduos em geografias das mais profundas para as mais altas alcançadas pelo movimento de transgressão e regressão marinha.

Exemplo:

(Vai sofrer edição daqui pra frente – aguardem)

No Grand Canyon voce vai subindo e encontrando camadas sedimentares mais superiores , porque quanto mais alto o terreno, mais camadas de cima acontecem.

Simples assim.

Na verdade trata-se de camadas que estavam mais fundas no início do catastrofismo que a terra passou . E ainda estão mais profundas exceto aquelas que se soergueram pela ação da rachadura da crosta onde pedaços dela (que são as placas tectonicas) se amontoaram uma em cima de outra ou colidiram ou se atritaram.

Nos continentes encontramos diversas vezes o cretacio como camada sedimentar mais profunda .

E quanto mais alto o terreno mais camadas de cima acontecem

Tudo é uma questão de topografia e não de tempo como demonstra o gráfico acima.

Agora observe o padrão fóssil

Por que o paradoxo da estase morfológica destrói a teoria da evolução e ao mesmo tempo evidencia nitidamente ao criacionismo?
Foto de perfil de Jesse de Barros
Jesse de Barros, antigo Técnico Têxtil, Analista Programador e Instrutor (1977-2015)
Respondido Há 10h
Conforme a definição de Sodré Neto, que publicou artigo científico intitulado “Speciation in real time and historical-archaeological and its absence in geological time” a respeito , na revisão e acréscimos ao mesmo, assim define : “A anomalia surpreendentemente encontrada de que não há mudanças significativas morfológicas (incluindo aquelas em direção as filogenias e morfologias díspares) no registro fóssil, para confirmar e convalidar a árvore evolutiva de ancestralidade totalmente comum e/ou pelo menos para representar as grandes mudanças ambientais ocorridas ao longo de milhões de anos, é chamada na literatura de “paradoxo da estase morfológica” (PMS – paradox of morphological stasis).

O paradoxo da estase morfológica (PMS – paradox os morphological stasis) é a observação de permanência de mesma ou semelhante forma (dentro do “morfo-espaço”) nas amostras do registro fóssil contidos nos estratos e camadas geológicas sedimentares do fanerozoico e/ou pré-cambrianas. Esta permanência é precedida por surgimento pronto (sem etapas evolucionarias achadas antes nem lateralmente no sentido de ligar evolucionariamente um padrão morfológico fóssil ao outro, o que é chamado de padrão de disparidade ou diferenciação de padrões morfológicos aumentada no registro fóssil) , bem como extinção da forma no registro fóssil sem etapas de diversificação antes de extinção que se observa hoje , e as vezes reaparecimento daquela forma extinta , da espécie ou forma padrão, viva hoje, criando assim lapsos de sua ausência no suposto tempo de milhões de anos de intervalo considerado.

O surgimento pronto de espécies ou criaturas fósseis como padrão paleontológico (tendo sua maior expressão justamente no cambriano/ediacara que correspondem com o surgimento de camadas sedimentares ) e a estase morfológica fóssil, repetindo as muitas mesmas espécies em estratos geológicos superiores , com o padrão de surgimento pronto sem antecedentes ou etapas evolutivas anteriores , tem dado aos criacionistas muita esperança de que a Bíblia e 274 outras fontes arqueológicas sempre estiveram certas ao declararem que o mundo antigo foi sepultado por uma conjugação de relatos de diversas catástrofes diferentes, tendo em comum uma grande inundação arrebatadora que muitos relatos dos antigos chamam de dilúvio. Além dos criacionistas, os cientistas do design inteligente, que é um ramo interdependente da linha de estudo criacionista, ou que representa uma de suas linhas de pesquisa, dão destaque ao surgimento pronto no registro fóssil, como a confirmação de inúmeros estudos bioquímicos iniciados principalmente por Michael Behe, da célula e sistemas de vida , que não funcionam caso faltem partes (complexidade irredutível). Alguns dos autores que publicaram a respeito (Wolf Looning, 2006; Michael Denton, 1986, 2016; Stephen Meyer, 2009, 2013; Webe BH, 2010; Moriwitz, 1992; Kaufmann, 1993; Willian Dembsk, 2004; Guilermo Gonzáles, 2004; Jonathan Wells, 2000, Douglas Axe, 2016) e muitos outros. Todos obviamente evocando indiretamente ou discretamente de alguma forma a necessidade de parâmetros de leitura e compreensão dos dados a partir de softwares que simulam inteligencia e por assim dizer evocam um design inteligente e consequentemente os relatos antigos do Criador, o que fez romper não somente a barreira epistemológica que separa ciência estritamente materialista , onde todo cenário avistado é comprimido numa camisa de força epistemológica materialista de uma ciência pós modernista que abraça deduções metafísicas juntas ou amplas o bastante para reencontrar sabedorias , crenças e relatos antigos em sua forma mística de descrever dentro de sua forma de expressão mitológica, simbólica ou análoga, com baixo ou alto percentual e características de alguma literalidade falseável, os detalhes nossas origens.

Estes relatos antigos também falam de separação da terra e a geologia moderna, talvez em parte pelas ondas modernistas do iluminismo anti-religioso francês que imperava em toda Europa que era o centro do saber da época, teve muita resistência para aceitar a teoria da deriva continental de Alfred Wegener que em 1913 alegou ter iniciado a separação a uns 300 milhões de anos. Na época não tínhamos o “google earth” que mostra os contornos ainda extraordinariamente preservados por milhões de anos se encaixando quase que perfeitamente ainda hoje, apesar das catástrofes e impactos que se assumem ter ocorrido neste longo período, ou mesmo no período hoje assumido de 200 milhões de anos como inicio das separações , impactos estes que teriam desmanchado, castigado e erodido violentamente, estes mesmos contornos, contraditoriamente preservados ainda se encaixando um ao outro, surpreendentemente, como peças de um quebra-cabeças entre continentes da terra .

Mas se a academia pudesse extinguir o fator tempo (e neste trabalho mostraremos como) nos perguntamos se estas águas vindas das profundezas relatadas na Bíblia, juntamente com tantos desastres de magnitude global de outras fontes arqueológicas, não seriam, juntamente com a separação póstuma da terra também relatada, consequências de uma chuva inédita de asteroides na terra (pois temos milhares de evidências que o inicio da separação foi extremamente violenta e para rachar a crosta continental (que pode medir até 80 kilômetros de espessura) teríamos que ter muitas marretadas violentas de asteroides) as quais teriam capacidade de sepultar os seres antigos e explicar então suas repetições taxonômicas e a tão “assustadora” estase morfológica, pois todas as espécies pertenceriam a uma mesma geração e estariam apenas 70% estratificadas por motores de segregação e estratificação espontânea(Minoletti, 2009; Dilly et al, 2015: Berthaut, 1986, 1988, 2002, 2004, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014; Lalomov, 2007, 2013; Julien, P.Y, 1993)” . https://pt.quora.com/Por-que-o…/answer/Jesse-de-Barros